COLÔMBIA – Cultura e tradições

As culturas indígenas assentes no país à chegada dos espanhóis, a cultura europeia (de Espanha) e as africanas importadas durante o tempo da Colónia são a base da cultura colombiana, que também partilha características fundamentais com outras culturas hispano-americanas em manifestações como a religião, a música, as danças, as festas, as tradições e o dialetos, entre outras.

cur-0630-web60.jpg

Culturalmente, a Colômbia é um país de regiões em que a heterogeneidade obedece a diversos fatores como o isolamento geográfico e a dificuldade de acesso entre as várias zonas do país. As sub-regiões ou grupos culturais mais importantes são os “cachacos” (situados no planalto cundiboyacense), os “paisas” (assentes na Antioquia, o Eixo Cafeeiro), os “llaneros” (habitantes das planícies orientais), os “vallunos” (zona do Vale do Cauca), os “costeños” (situados na Costa Caribe), e os “santandereanos” (situados nos departamentos do Norte de Santander e de Santander), entre outros, cujos costumes variam consoante as suas influências e ascendências.

A literatura colombiana remonta aos tempos da colonização espanhola, período em que destacam Hernando Domínguez Camargo, com o Poema Épico a São Inácio de Loyola, Juan Rodríguez Freyle (El Carnero) e a freira Francisca Josefa del Castillo, representante do misticismo. Na literatura da pós-independência ligada ao Romantismo, destacam Antonio Nariño, José Fernández Madrid, Camilo Torres Tenorio e Francisco Antonio Zea. Na segunda metade do século XIX e no início do século XX popularizou-se o género costumbrista, tendo tido como máximos expoentes Tomás Carrasquilla, Jorge Isaacs e Rafael Pombo (destacado no género de literatura infantil). Dentro desse período, autores como José Asunción Silva, José Eustasio Rivera, León de Greiff, Porfirio Barba-Jacob e José María Vargas Vila, desenvolveram o movimento modernista. Em 1871, estabeleceu-se na Colômbia a primeira academia da Língua Espanhola na América.

Durante o chamado boom da literatura latino-americana surgiram escritores de sucesso, estando na dianteira o Nobel da Literatura Gabriel García Márquez e a sua obra magna “Cem anos de Solidão”, Eduardo Caballero Calderón, Manuel Mejía Vallejo e Álvaro Mutis, único colombiano galardoado com os prémios Cervantes e Príncipe das Astúrias. Outros autores contemporâneos destacados são Fernando Vallejo (Prémio Rómulo Gallegos) e Germán Castro Caycedo, escritor que vende o maior número de livros na Colômbia depois de García Márquez.

O evento mais importante na Colômbia sobre arte colombiana é o Salão Nacional de Artistas Colombianos. Entre os principais pintores colombianos, sobressaem o impressionista Andrés de Santa María, os retratistas Ricardo Acevedo Bernal e Ricardo Gómez Campuzano, os figurativistas Darío Morales, David Manzur e Diego Mazuera, o paisagista Gonzalo Ariza, a expressionista Débora Arango e o muralista Ignacio Gómez Jaramillo. Na escultura, destacam Rodrigo Arenas Betancourt e Nadín Ospina. No entanto, são numerosos os artistas colombianos que desenvolveram a sua obra tanto na pintura como na escultura. Tal é o caso de Fernando Botero, famoso pelas suas personagens monumentais, Enrique Grau, Francisco Antonio Cano, Luis Alberto Acuña Tapias, Luis Caballero, Santiago Martínez Delgado, Juan Antonio Roda, Beatriz González, Ómar Rayo, Eduardo Ramírez Villamizar e o hispano-colombiano Alejandro Obregón, entre outros, que alcançaram o reconhecimento internacional.
Também artistas multifacetados como Pedro Nel Gómez estenderam a sua obra para o campo da  

arquitetura.

Popularmente, reconheceram-se como ritmos nacionais o bambuco (início do século XX), a cumbia (meados do século XX) e o vallenato (final do século XX, início do XXI). Os vários géneros da música folclórica da Colômbia foram influenciados por elementos espanhóis, ameríndios e africanos, que conformaram a etnografia do país, bem como por outras correntes latino-americanas e anglo-saxónicas que tornaram a música colombiana como uma das mais ricas da região levando, em anos recentes, ao reconhecimento de vários intérpretes colombianos a nível internacional.
A música colombiana é promovida sobretudo pelo apoio de grandes companhias discográficas, empresas independentes e, em menor escala, pelo governo da Colômbia através do Ministério da Cultura. O Sistema Nacional da Cultura faz a assessoria ao governo, de forma descentralizada através do Conselho Nacional da Música, em temas musicais e por representação de cada uma das seis regiões do país.
A Sociedad de Autores y Compositores de Colombia (Sayco) e a Asociación Colombiana de Intérpretes y productores fonográficos (Acinpro) são as organizações encarregues de cobrar e distribuir os direitos patrimoniais gerados pelo uso das obras aos seus autores filiados e a estrangeiros que fazem parte de sociedades filiadas na Confederação Internacional de Sociedades de Autores e Compositores (Cisac).

A Colômbia tem também expoentes da música atual com reconhecimento internacional, como Shakira e Juanes, vencedores de prémios Grammy americanos. Outras personalidades que alcançaram reconhecimento internacional são Fonseca, Fanny Lú e Aterciopelados, entre outros.

Decorre desde 1995 o festival Rock al Parque, evento onde são apresentados grupos nacionais e internacionais da cena do rock e do metal. É considerado o evento gratuito e ao ar livre maior da América Latina. Desde 1887, a composição musical patriótica que simboliza a Colômbia é o Hino Nacional da Colômbia, que foi adotado oficialmente em 1920.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s