Saiba como escolher um navegador GPS

gps2

Confira informações importantes na hora de adquirir esse produto.
Google anunciou entrada nesse mercado com software para celulares.

>>> O que é GPS?
O sistema de posicionamento global (Global Positioning System ou GPS), desenvolvido pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos, é formado por satélites que orbitam a Terra e seus receptores, oferecidos comercialmente para qualquer pessoa que queira comprá-los. Esse tipo de equipamento pode ser usado para diversas aplicações – inclusive apontar a localização de seus usuários e traçar rotas. As dicas dessa reportagem são para esse tipo de público, que pretende usar o sistema de navegação com esse propósito.

 

Foto: Divulgação

Usuário deve escolher modelo que se encaixe melhor às suas necessidades e ao seu bolso. À esquerda, aparelho TomTom GO 720. À direita, o T945B, da Airis. Ambos têm tela de 4,3 polegadas. (Foto: Divulgação )

>>> Para quem é esse tipo de produto?
Um localizador no telefone celular pode ser útil para qualquer pessoa – em uma região desconhecida da cidade, por exemplo, fica muito mais fácil se encontrar com essa ferramenta. Mas um navegador GPS, que traça rotas entre dois pontos, pode não valer a pena para todos os públicos. Esse eletrônico não é barato (pode custar até R$ 2 mil no Brasil) e deve ser adquirido por quem realmente sente a necessidade de um “copiloto” para ser orientado ao volante.

Respondendo a essa pergunta de uma forma direta, o GPS vale a pena se ele reduzir a preocupação e o estresse do motorista, levando em conta a relação custo/benefício do produto.
>>> Qual o preço de um GPS no Brasil?
Como acontece com qualquer eletrônico, os valores dependem da marca e dos recursos oferecidos pelo eletrônico. Em lojas on-line, é possível encontrar modelos para automóveis que vão de R$ 500 a cerca de R$ 2 mil. Muitos desses equipamentos têm funções que vão além de indicar o caminho, como transmissor FM, via voz Bluetooth (para conexão com celular), MP3, jogos e até bafômetro.
>>> Que características devo ficar atento antes da compra?
Para responder a essa pergunta, o consumidor deve ter em mente que tipo de uso fará desse equipamento. Se for uma pessoa que viaja para diversas partes do mundo, por exemplo, é interessante comprar um produto que ofereça facilidade e também bom preço na hora de baixar novos mapas. E se tiver em mente que vai guardar grande quantidade de informações nesse aparelho, o usuário também precisa se preocupar com capacidade de armazenamento (além da capacidade interna, alguns modelos ainda são compatíveis com cartões de memória).

 

Droid, da Motorola, vai usar ferramenta GPS do Google. (Foto: Reuters)

Outra função importante é a de o navegador dar as coordenadas, em voz alta, do que o motorista deve fazer – dessa forma, não é necessário olhar a tela do equipamento enquanto dirige. Portanto, confira se o produto oferece uma língua com a qual você esteja familiarizado. Uma característica quase predominante nos GPS é a tela sensível ao toque. Alguns sistemas podem ter uso mais intuitivo que os outros, e o ideal é que o usuário teste antes da compra qual interface se adapta melhor.
Em relação à tela, o consumidor deve escolher um tamanho que o deixe confortável para visualizar informações a distância (quando o carro não estiver em movimento) e que funcione bem sob diferentes condições de luz. O tamanho das telas varia entre 2,5 polegadas e 5 polegadas: enquanto a menor alternativa dificulta a visualização dos dados e inserção de informações, a maior pode tornar mais incômodo carregar o portátil. Aí vai do que é prioridade para o usuário.
Para Ricardo Kamel, diretor-executivo da Airis para a América Latina, os consumidores devem ficar atentos a dois pontos antes de comprar um GPS. “A origem do produto é importante, para que a relação do investimento por tempo de uso seja válida. Além disso, hoje uma característica importante é a oferta de conteúdo atualizado constantemente”, disse ao G1. Os aparelhos da Airis têm atualização semanal, feita via cabo USB, com informações sobre shows, teatros, cinemas e radares.
Ainda no quesito conteúdo, compare entre as opções disponíveis a quantidade de pontos de interesse: hotéis, restaurantes, postos de gasolina e atrações turísticas, por exemplo. Essas dicas podem enriquecer uma viagem e até salvar o turista de roubadas.
>>>Como atualizar os mapas?
Geralmente os mapas do aparelho GPS são atualizados via computador. Esses equipamentos vêm com um software que puxa informações da internet e as repassam para o portátil via cabo USB. Em muitos casos, esses mapas são pagos.

 

>>>Quais as ferramentas GPS disponíveis para celular?

TomTom oferece por US$ 120 um aplicativo com funções de navegador que transforma o iPhone em um GPS. (Foto: Divulgação )

Atualmente são muitas alternativas, pagas e gratuitas. O iPhone 3G já vem com uma ferramenta de localização integrada, e o Google anunciou nesta semana que os aparelhos a nova versão de seu sistema operacional para celulares, o Android, terão GPS. O celular Droid, da Motorola, chegará ao mercado norte-americano no dia 6 de novembro com essa função.
Já a TomTom oferece por US$ 79 um aplicativo com funções de navegador que transforma o iPhone em um GPS.
“Temos a estratégia de disponibilizar nossa tecnologia em múltiplas plataformas, para que as pessoas interessadas possam utilizá-la da maneira que preferirem. A disponibilidade no iPhone é mais um passo para colocar essa estratégia em prática, e expande o interesse pela navegação. Isso porque faz essa tecnologia chegar até pessoas que antes talvez não considerassem comprar um equipamento de navegação”, afirmou ao G1 Elias Kabeche, gerente geral da TomTom para a América Latina.
>>>Um GPS no celular é tão bom quanto um produto dedicado?
Depende do tipo de uso que o consumidor busca. Se ele não gosta de carregar diversos eletrônicos e quer um produto que integre tudo, um celular com GPS pode ser uma boa escolha. Mas se o GPS é uma ferramenta realmente útil em sua vida e ele tira o melhor proveito possível dessa ferramenta, talvez seja interessante comprar um produto dedicado.
“O celular com navegação sem dúvida é uma grande conveniência, um excelente complemento, mas certamente não substitui o GPS. Os telefones portáteis também tiram fotos, mas quando as pessoas vão viajar elas levam suas câmeras digitais”, compara Kamel, da Airis. Ele afirma, por exemplo, que os aparelhos de navegação são maiores que os telefones, assim como a bateria dos GPS. Por isso, a carga dura mais. “Qualquer bateria de celular vai acabar em uma hora, se o produto for usado como um GPS”.
>>> Posso comprar no exterior um aparelho que será usado no Brasil?
Sim. É importante, no entanto, fazer atualizações de mapa para o usuário ter informações referentes ao Brasil. Uma boa dica é conferir se o modelo a ser adquirido no exterior está disponível oficialmente por aqui – se isso acontecer, é grande a chance de o fabricante oferecer mapas locais aos brasileiros.
Leia mais notícias de Tecnologia

Fonte: G1

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s